Prepare o terreno para uma cultura mais humana

Entenda por que promover uma cultura mais humana na sua empresa prepara, naturalmente, líderes e equipes para desafios mais complexos



O conhecimento técnico deixou de ser um grande diferencial. Em momentos de tantas incertezas, restrições, estresse e cansaço, as habilidades humanas despontam como a nova aposta de vários empreendedores, líderes, profissionais e empresas. Dia após dia o desenvolvimento de competências socioemocionais passa a ser uma necessidade e uma cultura mais humana no ambiente de trabalho passa a ser uma prioridade.

Podemos entender o conceito de “cultura” por meio alguns vieses: o de um conjunto de hábitos e normas de comportamento ou o de um espaço para o desenvolvimento de faculdades naturais. Notem que o primeiro viés é restritivo e limitante e o segundo é totalmente expansivo e natural.

Para desenvolver uma cultura mais humana, sua empresa precisa criar espaço para que as pessoas sejam elas mesmas, precisa oferecer oportunidades em que elas possam se mostrar sem a pressão de estarem sendo julgadas ou avaliadas (por si e pelos outros). Desenvolvimento necessita de espaço.


Afinal de contas, desenvolvimento sem liberdade não gera crescimento, gera condicionamento e todo condicionamento cria, automaticamente, o compromisso em acertar ou o medo de errar. Esse compromisso e esse medo são prejudiciais para sua equipe.

Dessa forma, como ela poderá ser criativa? Como a equipe irá se comunicar com clareza ou como os líderes terão confiança o suficiente para serem proativos? Como a empresa irá desenvolver empatia entre as pessoas? Não há possibilidade.

Promover uma cultura humanizada é sobre preparar o terreno para que as pessoas sintam que elas existem. Não pelos seus erros ou seus acertos, mas por quem elas são, incluindo suas potencialidades e seus pontos a serem melhorados. Esse contexto por si só irá revelar líderes e equipes mais empoderadas, integradas, prontas para arriscar, sugerir, comunicar, adaptar, agir e transformar de acordo com o (novo) contexto.



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo